1. Home
  2. /
  3. Notícias, Notícias Destaque
  4. /
  5. Barilive destaca a importância...

Barilive destaca a importância do ferro para bariátricos

Notícias / Notícias Destaque

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) retomou as transmissões do Barilive na noite desta terça-feira (19). Esse foi o primeiro encontro após o XIX Congresso Brasileiro de Cirurgia Bariátrica, que reuniu os especialistas em Fortaleza (CE). O encontro teve como tema “A importância do ferro na cirurgia bariátrica”, proposto pelo Núcleo de Saúde Alimentar da SBCBM, e reuniu o cirurgião bariátrico Luiz Vicente Berti e as nutricionistas Andrea Forlenza e Renata Valentini.

No debate, as especialistas frisaram a importância do ferro para o transporte de oxigênio, a produção de energia para o corpo, além da eficiência do sistema imunológico. No geral, os principais sintomas que acendem o alerta sobre deficiência de ferro é o desânimo, dificuldade de levantar da cama, falta de concentração e fadiga. O aspecto do paciente anêmico também pode incluir queda de cabelo, olheiras profundas e mãos e pés gelados.

“A fadiga acontece porque não está chegando oxigênio nos tecidos. Além disso, a taquicardia (quando o coração fica mais acelerado) acontece porque os tecidos não estão recebendo oxigênio suficiente e o coração acelera para compensar e carregar o pouco oxigênio”, conta Renata Valentini, especialista em Clínica e Terapêutica Nutricional e também especialista em nutrição funcional.

Os dois tipos de ferro, o ‘ferro heme’ e o ‘ferro não heme’, também foram pauta. O primeiro, presente somente nas carnes, é melhor absorvido pelo organismo enquanto o segundo, presentes na família dos vegetais e demais alimentos, precisa passar por uma série de processos dentro do corpo antes de ser incorporado ao organismo.

“O ferro é tão importante para o nosso corpo que ele faz um estoque. Nas carnes, a gente encontra os dois tipos de ferro no mesmo alimento. Tanto o que tem um transporte facilitado para dentro quanto o que precisa de mais processos”, comenta Andrea Forlenza, especialista nas áreas de Nutrição Clínica Funcional e Fitoterapia Integrativa em Nutrição e Farmacêutica-bioquímica.

As especialistas alertam para que os bariátricos tenham atenção com os valores de referência da presença de ferro nos exames de sangue. Os valores são diferentes em pessoas que fizeram a cirurgia bariátrica e, por tanto, é fundamental que o paciente siga o acompanhamento com os especialistas da equipe multidisciplinar.

Mulheres têm mais chances de ter deficiência de ferro?

“A relação está intimamente ligada a idade fértil, principalmente, em que ocorre a perda de uma menstruação excessiva, gestação, que causa uma necessidade grande de ferro. Em geral, a deficiência de ferro e anemia são mais graves nas mulheres”, comenta Andrea.

O mediador e cirurgião Dr. Luiz Vicente Berti comentou sobre sua experiência em mais de vinte anos de consultório e declarou que é comum que mulheres acham normal menstruar, com fluxo intenso, por mais de cinco dias. Com isso, ocorre uma perda de cerca de 300ml de sangue mensalmente, em poucos meses os índices de ferro começam a cair e isso, somado com uma reposição inadequada pode levar as mulheres à quadros de insuficiência de ferro e até anemia no pós-operatório.

Reposição de ferro via oral são eficientes?

De acordo com os especialistas, atualmente existem produtos de suplementação oral que são eficientes para a reposição de ferro.

“Você já tem no mercado um produto que consegue entrar no nosso organismo em uma região que não foi afetada pela cirurgia bariátrica. Eles são protegidas por uma membrana que faz com que ele seja absorvido principalmente pelo ílio (uma região do nosso intestino)”, afirma a nutricionista Andrea Forlenza.

Questionadas sobre os polivitamínicos, as nutricionistas deixam claro que a suplementação de ferro pode ter problemas quando acompanhada de cálcio e por isso a absorção pode ser prejudicada. “É fundamental a suplementação de ferro separada. Não dá para contar com o polivitamínico porque geralmente a dose é baixa e também acontece a competição com o cálcio”, diz Andrea.

Hábitos alimentares podem inibir a absorção de ferro

Alguns hábitos alimentares dificultam a absorção de ferro. De acordo com Renata, não adianta consumir alimentos fonte de ferro e na sequência tomar café ou algum derivado de leite, uma vez que nutrientes presentes nesses itens dificultam na absorção do nutriente. A dica da nutricionista é dar preferência por sucos verdes no café da manhã, no lugar de café ou leite, e outras opções ao longo do dia como suco de abacaxi com salsinha; mexerica com couve; e beterraba com maçã.

Dicas para melhorar a absorção de ferro

A nutricionista também dá dicas para melhorar a absorção do ferro pelo organismo. Segundo Renata, a vitamina C e aminoácidos sulfurados, presentes no brócolis, nozes, sementes de girassol, entre outros, melhoram a absorção de ferro. “Em torno de 75mg de vitamina C aumenta em 4 vezes a absorção do ferro não heme, dos vegetais. Então, sempre que você for ingerir um vegetal verde-escuro, tempere com limão. Coloque uma rodela de laranja do lado do seu feijão para combinar ferro e vitamina C”, diz.

Segundo a nutricionista, quando o feijão é consumido em um processo que ignora o tempo em que o grão precisa ficar de molho. “O ácido fítico, substância que sai dos grãos quando a gente deixa de molho de um dia para o outro, dificulta a absorção do ferro. Feijão que não foi deixado de molho, do jeito que entrar vai sair”, conta.

Pós-operatório

“É fundamental que no período pós-cirúrgico todo o corpo médico continue acompanhando vocês para ver se existem sinais e sintomas, planejar o que suplementar para que as carências não aconteçam. O mais importante é levar o processo pós-cirúrgico muito a sério além do segundo mês. É um processo que deve ser acompanhado para sempre! O pós-cirurgico nunca acaba”, diz Andrea Forlenza.

“Não fuja da sua equipe! Não adianta trocar uma doença por outra. Não adianta trocar obesidade por anemia. A gente opera para ficar saudável e não para ficar doente. A gente precisa que você suplemente e fique junto de seu nutricionista e de seu cirurgião”, finaliza Renata Valentini.

Assista:

Na próxima semana

O próximo encontro do Barilive será na próxima terça-feira (26) e terá como tema “A importância da mudança de hábitos alimentares e atividade física no pré-operatório”.

 

PARCEIROS PLATINUM

Parceiro Ouro

nn_logo_rgb_blue_large

Parceiro Prata

Parceiros Bronze

Pfizer_Logo_Color_RGB
Pfizer_Logo_Color_RGB

SITES PARCEIROS

Localize Cirurgiões e Equipe Multidisciplinar.

Segunda à Sexta | Rua Maestro Cardim, 560 - cj. 165 - CEP 01323-000 | São Paulo SP
Whatsapp: 11 9.9477.9049| T + 55 11 3284 6951

Mapa do site

Acessar