1. Home
  2. /
  3. Imprensa, Notícias, Pesquisas
  4. /
  5. Cientistas propõem cirurgia inédita...

Cientistas propõem cirurgia inédita para combater a obesidade

Imprensa / Notícias / Pesquisas

212-BXProcedimento desvia fluxo de bílis para intestino delgado

Um grupo de cientistas testou com sucesso em ratos uma nova técnica cirúrgica que pode substituir as “complicadas” e “invasivas” operações de redução de estômago em humanos, segundo estudo publicado nesta quarta na revista “Nature”.

O procedimento consiste em desviar o fluxo de bílis para a parte final do intestino delgado, o íleon. O resultado sobre a perda de peso nos roedores obesos é comparável ao oferecido por métodos tradicionais, como a gastrectomia vertical ou a cirurgia bariátrica.

Os pesquisadores conectaram a vesícula biliar de ratos obesos a diferentes partes do intestino delgado e compararam os benefícios metabólicos dessa intervenção com as técnicas tradicionais durante um período de até oito semanas. E descobriram que a simples injeção de fluxo de ácido biliar no íleon é suficiente para obter efeitos similares aos gerados por “procedimentos cirúrgicos mais complicados”.

O presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), Josemberg Campos, diz que apesar de não considerar a pesquisa “uma grande descoberta”, se conseguir apresentar os mesmos resultados em humanos, a nova técnica representaria um avanço em relação aos métodos atuais.

“Essa cirurgia não vai reduzir a entrada dos alimentos, não vai diminuir o volume que o paciente vai ingerir, não vai produzir grande alteração na absorção. Outro avanço é saber que a chegada da secreção biliar no intestino de maneira precoce também tem efeito benéfico sobre o controle do peso e das doenças associadas à obesidade”.

Teoricamente, diz Campos, a nova técnica utilizaria um procedimento cirúrgico mais simples para realizar a comunicação da vesícula com intestino via endoscópica, que é mais difícil, ou via laparoscópica, que é uma forma mais tradicional, ligando a vesícula e o intestino delgado por meio de cateter. “Essa técnica de comunicação já existe para solucionar outras doenças. Não é uma técnica realizada de maneira rotineira, mas pode ser utilizada como uma medida paliativa em pacientes portadores de câncer das vias biliares, por exemplo”, explica.

Por ainda ser um procedimento experimental, realizado apenas em animais, Campos garante que a realidade em humanos é bem diferente. “Ainda não está provada a eficácia em humanos. Ela deve ser testada em longo prazo e com segurança. Quando falo eficácia em paciente obeso significa que a técnica precisa promover a perda de peso e o controle das doenças associadas a obesidade, como diabetes, hipertensão e várias outras”.

No Brasil

Cirurgia bariátrica. O país é o segundo no mundo que mais realiza esse tipo de cirurgia, só perde para os EUA. Em 2014 foram 88 mil (dessas, 10% feitas pelo SUS).

Cirurgias estão em evolução desde 1950

O médico Josemberg Campos explica que as cirurgias bariátricas para a tentativa do controle do peso existem desde a década de 50 e já foram tentadas várias técnicas. Os primeiros métodos priorizavam a diminuição da absorção dos alimentos com intervenções que ligavam o intestino delgado e o intestino grosso, sem passar pela parte final do intestino delgado, conhecida como íleon.

“Só que esse tipo de cirurgia promovia alterações nutricionais importantes”, explica. Então, elas foram substituídas pela gastroplastia, cuja ideia era promover a diminuição do volume do estômago e, por sua vez, diminuir a quantidade de alimento ingerido pelo paciente.

“Mas percebeu-se que só essa restrição da diminuição da entrada de alimento era insuficiente para controlar a obesidade, então foram criadas as técnicas cirúrgicas mistas, onde é realizada uma alteração do intestino e também da diminuição da entrada dos alimentos, diminuindo o volume e a absorção dos alimentos”, conta.

Flash

Cirurgias bariátricas. Existem dois tipos de técnicas: a gastrectomia vertical, que retira parte do estômago, mas não altera o intestino; e a gastroplastia – ou bypass gástrico –, que reduz o estômago do paciente e o liga diretamente ao intestino delgado.

Flash

Nomeclatura. Todas as técnicas cirúrgicas realizadas para controle de peso são incluídas em grupo denominado cirurgia bariátrica, esclarece o médico Josemberg Campos.

Fonte: O Tempo (MG)
Autora: Litza Mattos
Foto: Paola Kizette Cimenti (via Flickr / CC BY-NC-ND 2.0)