1. Home
  2. /
  3. Notícias, Notícias Destaque
  4. /
  5. Cirurgia para o diabetes...

Cirurgia para o diabetes custará 10 centavos por mês por usuário para os planos de saúde, aponta estudo

Notícias / Notícias Destaque

Regulamentada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) desde 2017, a cirurgia metabólica – capaz de controlar os casos de diabetes tipo 2 que não respondem aos remédios – custaria aos planos de saúde um valor de 10 centavos por usuário, segundo estudo elaborado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM)

Os dados fizeram parte de um Estudo de Impacto Orçamentário feito pela SBCBM para que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) incorpore esse tratamento no rol de procedimentos obrigatórios dos de planos de saúde. Técnicos da agência refizeram os cálculos e encontraram 18 centavos por usuário, apesar de se basearem em estudos oriundos dos próprios planos de saúde que tem se posicionado contrários à incorporação. A decisão final depende agora de uma consulta pública que a ANS está fazendo até o dia 21 de novembro.

Para a SBCBM, os cálculos divergem pois a ANS se baseou em pacientes com obesidade mórbida submetidos a cirurgias ultrapassadas feitas através de cortes no abdome, diferentemente do modelo utilizado atualmente que se baseia na cirurgia feita por videolaparoscopia, que é mais segura e mais custo-efetiva.

Em outro estudo apresentado para demonstrar a custo-efetividade da cirurgia, os pesquisadores da SBCBM calcularam o custo para se melhorar e estender a vida dos portadores de diabetes, contabilizando apenas a resolução plena da doença. Isso significa que não foi levada em consideração a economia com a redução de complicações ocasionadas pelo Diabetes como amputações, transplantes de rins, hemodiálise e tratamentos de visão. “O preço pago para se aumentar um ano de vida com qualidade máxima foi calculado em R$ 23 mil reais. Esse preço, que é inferior a um PIB per capita, é considerado extremamente custo-efetivo pelos analistas em economia da saúde”, afirma o presidente da SBCBM, Marcos Leão Vilas Boas.

O parecer técnico inicial foi contrário à incorporação da cirurgia metabólica nos planos de saúde. Para a ANS, um ponto crucial na análise é o custo da incorporação para o setor que, segundo eles, já no primeiro ano haveria uma adoção de 1,5% da população elegível, o que é incompatível com a realidade segundo Marcos Leão.

“A cirurgia metabólica se direciona ao diabetes que, tradicionalmente, possui um grande arsenal terapêutico e tem no tratamento clínico conservador sua grande referência”, explica Leão. “Mesmo considerando o impacto orçamentário apontado pela ANS, o custo aproximado seria de apenas R$ 0,18 (dezoito centavos) por mês durante cinco anos. Contabilizados todos os exageros e erros de análise”, completa o presidente da SBCBM.

CONSULTA PÚBLICA – Agora, a entidade abriu uma consulta pública para ouvir a sociedade civil sobre a cirurgia metabólica e decidir se incorpora ou não o procedimento ao seu rol.

Para contribuir é preciso acessar o site da ANS (https://bit.ly/SBCBMConsultaPublica) procurar pela Recomendação preliminar “153 – Gastroplastia”, clicar em “Discordo da Recomendação Preliminar”, e dizer os motivos para que exista a cobertura da cirurgia metabólica para pacientes com Diabetes.

CIRURGIA PARA O DIABETES – A cirurgia para o diabetes ou metabólica é indicada para pacientes com diabetes tipo 2 , diagnosticado há menos de 10 anos, com Índice de Massa Corporal (IMC) entre 30 kg/m² e 34,9 kg/m², entre 30 e 70 anos de idade e que não conseguem controlar a glicemia com o tratamento clínico medicamentoso.

O procedimento é realizado por videolaparoscopia, através de pequenos furos na parede abdominal. Essa alteração promove a passagem mais rápida do alimento do estômago para o intestino e traz mudanças metabólicas como a aceleração da produção de hormônios, que atuam no pâncreas melhorando a produção de insulina, o que normaliza os níveis de glicose no sangue.

Os estudos têm demonstrado benefícios a médio e longo prazo para a qualidade de vida destes pacientes como, por exemplo, que 45% dos pacientes entram em remissão do diabetes (deixam de tomar medicamentos e insulina) já no primeiro ano de cirurgia.

Além disso, a cirurgia metabólica é uma ferramenta eficaz para prevenir complicações graves do diabetes como a insuficiência renal, a retinopatia diabética, acidentes cardiovasculares e os problemas de úlcera e gangrena dos membros inferiores que levam muitos pacientes a ter de amputar parte da perna.

Nossos parceiros

Parceiro Platinum

Parceiro Ouro

Parceiro Ouro

nn_logo_rgb_blue_large

Parceiro Bronze

Pfizer_Logo_Color_RGB

Sites Parceiros

Segunda à Sexta | Rua Maestro Cardim, 560 - cj. 165 - CEP 01323-000 | São Paulo SP
Whatsapp: 11 9.9477.9049| T + 55 11 3284 6951

Mapa do site

Acessar