NOTÍCIAS

  1. Home
  2. /
  3. Capitulos, Notícias, Notícias Destaque
  4. /
  5. Cirurgiões bariátricos internacionais e...

Cirurgiões bariátricos internacionais e do Brasil e debatem técnicas no Congresso de Fortaleza

Capitulos / Notícias / Notícias Destaque

O terceiro dia do XIX Congresso Brasileiro de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, promovido em Fortaleza pela SBCBM, foi marcado por intenso debate entre cirurgiões brasileiros e estrangeiros sobre técnicas bariátricas, recidiva da obesidade, resultados da cirurgia no tratamento do diabetes, possíveis complicações, entre outras questões.

Dr. Phlip Schauer (USA), diretor do programa de cirurgia bariátrica na TheCleveland Clinic, fez parte da comissão de médicos estrangeiros convidada a participar dos debates sediados no Auditório Jericoacoara, do Centro de Eventos do Ceará. Com áreas particulares de especialidade, que incluem cirurgia laparoscópica e gastrointestinal, além da cirurgia bariátrica, que contempla o bypassgástrico e a banda gástrica ajustável, Dr. Schauer fez uma contraposição à “Gastrectomia Vertical com Bipartição Intestinal”, técnica cirúrgica criada pelo médico brasileiro Dr. Sérgio Santoro. Sobre o debate, ele ressalta que seus comentários principais foram sobre o fato de que a técnica ainda é um procedimento relativamente novo, e que possui poucas publicações científicas acerca dos seus resultados.

“Deveria haver mais pesquisa sobre a Gastrectomia Vertical com Bipartição Intestinal, realizada por cirurgiões diferentes, a fim de melhor avaliar a segurança do procedimento, os resultados a longo prazo, e com base em um maior número de pacientes”, afirma Dr. Schauer.

Ele pontou, ainda, que o aspecto mais relevante de suas palestras foi a respeito dos resultados do seu famoso “Stampede Trial”, um trabalho conduzido por ele e seus colegas de Cleveland, e publicado no ano passado. “O estudo comparou as técnicas do bypassgástrico e sleeve com o uso intenso de medicamento para o tratamento do diabetes tipo 2. Atualmente, é o primeiro e o maior estudo controlado randomizado a comparar técnicas cirúrgicas com terapia por medicamento, tendo como base 5 anos de resultados”, ressalta. De acordo com ele, o estudo comprovou que a cirurgia possui resultados efetivos no tratamento da doença, com melhorias significativas na quantidade de açúcar no sangue, melhora nos triglicerídeos, no colesterol, no peso e na qualidade de vida dos pacientes de um modo geral, além da redução na prescrição de medicamentos.