Blog

Entenda melhor como a Cirurgia Bariátrica funciona

Institucional / Multidisciplinar / Notícias / Obesidade

Saber seguir adiante e entrar em uma nova fase da vida é fundamental.

A cirurgia bariátrica melhora diversas condições e ações biológicas (mudanças hormonais) para reverter a progressão da obesidade. Estudos apontam que mais de 90% dos pacientes bariátricos são capazes de manter a perda de peso em longo prazo, com eliminação de 50% ou mais do excesso de peso corporal.

 

As técnicas de cirurgia bariátrica, como o bypass gástrico e a gastroplastia vertical (sleeve), podem mudar a anatomia do trato gastrointestinal, ou seja, do estômago e do sistema digestivo, ou causar diferentes alterações fisiológicas no corpo dos pacientes capazes de alterar o balanço energético e o metabolismo dos mesmos.

 

Independentemente de qual tipo de cirurgia bariátrica for escolhida é importante lembrar que o tratamento cirúrgico da obesidade é uma ferramenta. A perda de peso também depende de outros fatores importantes como a nutrição, o exercício físico e a mudança de comportamento.

 

Ao mudar a anatomia gastrointestinal, os procedimentos afetam a produção de hormônios intestinais de forma a reduzir a fome e o apetite, além de aumentar a sensação de saciedade. O resultado final é a redução do desejo de comer e a frequência da alimentação.
Curiosamente as mudanças hormonais promovidas cirurgicamente são opostas às produzidas pela perda de peso dietética:

 

Mudanças hormonais da cirurgia bariátrica
Melhoram a perda de peso ao manter ou aumentar o gasto energético (calorias queimadas). Na verdade, algumas cirurgias até aumentam o gasto energético em relação ao tamanho do peso. Desta forma, a perda de peso cirúrgica tem chance maior de durar por mais tempo, pois um balanço energético adequado é criado.

 

Mudanças hormonais dietéticas

Na perda de peso dietética o gasto energético é reduzido para níveis menores do que seriam previstos pela perda de peso e pela mudança na composição corporal. Esta mudança desequilibrada na energia pode levar, muitas vezes, ao reganho de peso.

 

A perda de peso motiva o paciente a praticar exercícios como nadar, caminhar, pedalar e outras atividades físicas e também está associada a diversas outras mudanças no corpo, que ajudam a reduzir os defeitos no metabolismo das gorduras.

 

840-bxA combinação entre redução de peso e exercícios melhora a capacidade corporal de queimar gordura, leva a uma atitude mais positiva e reduz o nível de estresse. Outra consequência é a redução de hormônios como a insulina (usada para regular o nível de açúcar) e o cortisol (hormônio do estresse). A captação e o armazenamento de gordura são reduzidos por esta combinação.

 

Com a maior perda de peso o paciente começa a praticar mais atividades físicas, como nadar, caminhar, pedalar e muito mais. Além disso, a combinação de redução de peso e exercícios melhora a capacidade do corpo em queimar gordura, leva a uma atitude positiva e reduz o nível de estresse. A perda de peso massiva causada pela cirurgia bariátrica também reduz hormônios como a insulina (usada para regular o nível de açúcar) e cortisol (hormônio do estresse). Também melhora outros fatores que reduzem a captação e o armazenamento de gordura em depósitos. A atividade física também é componente fundamental no combate à obesidade.

 

Por isso, a cirurgia bariátrica pode ser uma ferramenta útil para auxiliar pessoas obesas a quebrar o ciclo de ganho de peso e ajudar a perder peso, além de manter a perda em longo prazo e melhorar a qualidade de vida e saúde de forma geral.

 

Fonte: ASMBS