Blog

Inspire-se contra o preconceito contra obesos na pratica de exercícios físicos

Cirurgia Bariátrica / Cirurgia Metabólica / COESAS / Educação Física / Exercício / Notícias / Pós-Operatório / Pré-Operatório

Quem convive com a obesidade ou com o excesso de peso sabe muito bem como uma ida à academia pode ser uma experiência traumatizante. Em um mundo orientado por padrões de beleza irreais, carregar alguns quilos a mais é motivo de olhares desrespeitosos que, muitas vezes, inibem a prática de exercícios pelas pessoas com obesidade. Afinal, quem gosta de ser objeto de comentários tolos e maldosos?

Se divertir com a família é uma boa forma de manter o corpo ativo.

Se divertir com a família é uma boa forma de manter o corpo ativo.

Entretanto este obstáculo deve ser superado obrigatoriamente por quem deseja combater o excesso de peso. A atividade física regular é fundamental para a saúde e indispensável para quem deseja emagrecer. Sabemos que falar é fácil, mas é preciso tomar uma decisão sobre o que é mais importante, a sua saúde ou a opinião dos outros.

 

Falar é mais fácil do que fazer. Muitas pessoas cobram que as pessoas com obesidade se exercitem, mas são as primeiras a constrangê-las. É como bem diz a ensaísta americana Christine Schoenwald: “As pessoas querem que as pessoas com obesidade se exercitem, mas não querem vê-las fazendo isso”.

 

É preciso uma dose grande de coragem para passar por cima dos preconceituosos. Christine compartilha sua experiência e diz que passou anos sem praticar atividades físicas por medo de ser ridicularizada pelos outros. Quando viu amigos e conhecidos que eram magros e saudáveis sofrerem ataques do coração, resolveu tomar uma atitude e superar sua vergonha.

 

“Quando alguém grita para mim que preciso perder peso enquanto estou caminhando, ou olham com reprovação quando estou de maio a caminho da piscina, eu ignoro. Eles não irão me tirar do trilho, de fazer algo que é bom para mim. Não estou fazendo isto por eles, de qualquer forma. Aqueles que fazem piadas ou brincadeiras maldosas podem rir porque, no fim, eu darei a última risada”, afirma Christine.

 

Ela ressalta que é preciso encontrar o tipo de exercício mais adequado a você, o que você mais gosta de fazer para manter a regularidade com maior facilidade. (Saiba mais aqui).

 

O relato da ensaísta é inspirador. “Eu tenho um corpo grande, mas isto não significa que não preciso ser tratada com respeito ou que tenho que ficar em casa porque perturbo sua percepção da realidade. Não me importa. Minha sala não é grande o suficiente para aulas de Zumba”, declara Christine.Você pode ler, em inglês, o texto completo aqui.

 

E então, que tal sair para uma caminhada pela sua saúde? Compartilhe como você supera o receio e os preconceituosos em busca de uma qualidade de vida superior!

 

Crédito das fotos: Canadian Obesity Network

Com informações de Ravishly

Kigurumi Brasil - Pijamas e Pantufas