1. Home
  2. /
  3. Notícias, Notícias Destaque
  4. /
  5. SBCBM lança Diretrizes sobre...

SBCBM lança Diretrizes sobre a Colelitíase por meio de transmissão para todo o Brasil

Notícias / Notícias Destaque

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) lançou, nesta segunda-feira (03), em São Paulo, as Diretrizes sobre a Colelitíase Associada à  Cirurgia Bariátrica.

O objetivo do estudo é estabelecer recomendações na prática clínica para a prevenção e o tratamento da colelitíase.

O presidente da SBCBM, Caetano Marchesini, explica que o público-alvo são os cirurgiões bariátricos e equipe multidisciplinar envolvidos no tratamento de pacientes no Brasil, em curto e longo prazo.

“No Brasil, até o momento, não existem diretrizes clínicas direcionadas especificamente aos cuidados necessários em relação ao risco de desenvolvimento de colelitíase secundária à obesidade ou perda rápida de peso . Pouco mais de um terço dos pacientes podem desenvolver a doença depois da cirurgia ”, conta Marchesini que também é um dos autores do estudo.

O lançamento do estudo foi transmitido – de maneira inédita – pela internet, através da rede social da SBCBM, chamada Baritalk®.  Capítulos regionais da Sociedade reuniram grupos de cirurgiões para acompanhar a transmissão nas cidades de João Pessoa, Curitiba, Porto Alegre, Brasília, Santos e Rio de Janeiro.

Durante a apresentação os cirurgiões puderam enviar perguntas sobre o tema. Todas as dúvidas foram respondidas online.

O que diz o estudo –  A obesidade – assim como a rápida perda de peso está  associada a múltiplos fatores fisiológicos, como a hipersaturação da bile com colesterol, aumento da produção de mucina  e hipomotilidade da vesícula e divisão do ramo hepática do nevo vago , fatores que predispõe a ocorrência de colelitíase.

Estima-se que o risco de formação de cálculos na vesícula seja oito vezes maior em pessoas com Índice de Massa de Corporal  (IMC) acima de 40.

Na tentativa de reduzir ou eliminar a formação de cálculo biliar, o estudo demonstrou que o ácico ursodesoxicólico (AUDC) pode ser um medicamento que auxilie no tratamento e prevenção de pacientes que apresentem alterações qualitativas  e quantitativas da bile.

O projeto de pesquisa da SBCBM avaliou uso de ácido ursodesoxicólico (AUD) nos pacientes bariátricos, tendo em vista que eles passam por uma rápida perda de peso.

“O estudo apontou que o AUDC inibe a síntese hepática do colesterol e estimula a síntese de ácidos biliares restabelecendo o equilíbrio entre eles”, afirmou um dos autores do estudo, o diretor-executivo da SBCBM, Luiz Vicente Berti.

Segundo outro autor , o cirurgião Roberto Kaiser Junior , “ainda há questões a serem respondidas sobre a real eficácia do medicamento”.  A  Sociedade recentemente iniciou um estudo clinico prospectivo, randomizado e duplo com o medicamento para responder a estas questões. “ Este estudo em um ano deverá responder à questões ainda levantadas pelas diretrizes“, completou Marchesini, presidente da SBCBM.

Todo o material estará disponível aos associados da SBCBM na área restrita do site https://www.sbcbm.org.br/diretrizes/.

PARCEIROS PLATINUM

Parceiro Ouro

nn_logo_rgb_blue_large

Parceiro Prata

Parceiros Bronze

Pfizer_Logo_Color_RGB
Pfizer_Logo_Color_RGB

SITES PARCEIROS

Localize Cirurgiões e Equipe Multidisciplinar.

Segunda à Sexta | Rua Maestro Cardim, 560 - cj. 165 - CEP 01323-000 | São Paulo SP
Whatsapp: 11 9.9477.9049| T + 55 11 3284 6951

Mapa do site

Acessar